Paris #1

Uma gaja trás maquina fotográfica e telemóvel para tirar fotos e entra no avião sempre a rezar para o mesmo não cair e esquece tudo na mala já guardada por cima do acento dois lugares á frente.
Entra no avião toda satisfeita (mais uma vez a rezar para não lhe dar o fanico) e descobre que o sei lugar está ocupado, fala com a hospedeira num misto de espanhol com português e ela encolhe os ombros e como quem diz pode sentar neste ao lado, sem meias conversas pergunto se não pode ser no lugar da janela e ela diz que para já não...tudo sentado e lá vêm ela levar-me a um lugar á janela e sem ninguém ao lado :)
De cima vejo uma terra bem organizada, com casas de telhados fofos e ruas paralelas, verdes, mais verdes do que julgava vir a ver.
Faça a viagem sempre com boa vista e sem turbulência e assim que se ouve que estamos a sobrevoar Paris chega tudo, as nuvens, a chuva e claro está os tremeliques do avião (mais uma vez o por favor não cais).
Ponho os pézinhos 41 em terra, vou buscar a mala e quase que vou agarrada ao tapete porque ninguém é capaz de ajudar uma senhora a retirar uma mala tamanho familiar.
Abraçinhos e beijinhos á chegada.
Direitas a casa.
Gente simpática esta pá.
À noite mesmo depois de um dia de trabalho levaram-me a ver a Eiffel, assim que entramos na avenida, TARAM, bate as dez horas e a torre começa a piscar...fiquei maravilhada :)

video



É difícil de explicar o que é para uma gaja que passou metade da vida a estudar estas coisas a alegria e mesmo assim espanto de ver as mesmas ao vivo, enche a vista, o coração e a memória de uma maneira que me faltam as palavras para construir as frases.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo