Aquele cheiro a verão


Á dias fui a casa, estava já de noite quando vim á varanda e fui invadia por aquele cheiro característico de verão, aquele cheiro que em outros tempos queria dizer que estava quase a entrara de férias das aulas, aquele cheiro que trás tantas mas tantas memórias doces que nem sei que sinta, se saudade, se ansiedade, se pena por não poder voltar atrás e viver tudo de novo. É estranho como um cheiro que nem sei de onde vêm ou do que é que emana de alguma maneira me traga tudo o que já foi. Sinto-me velha, sinto na pele tudo o que já passou, o que deixa saudades, o que foi tão bom que só de lembrar sinto borboletas no coração. A parte boa é que ao longo dos anos se vai conquistando lembranças e assim, aquele cheiro que não sei de que é, aquele cheiro a praia, a gelados, a festas, a noites longas e levantar tarde, é agora também cheiro a chá de longe, a terra seca, a flores campestres, a música de fundo, a peixe na brasa, a montanha, a cascatas geladas, a cardos,...,conforto por estar em casa, liberdade de poder ir e vir, família em roda da mesa de jantar, risos a altas horas, jogos intermináveis, a roupa de cama lavada de fresco de casa da avó, as mãos do meu avô cheias de morangos pequenos e doces, os cães aos pulos, o lavar os tapetes á mangueirada, o bolo de chocolate do pai ás 2 da manhã... como tenho saudades de ti férias, como tenho saudades de ser pequena, de não ter preocupações maiores que o que vestir logo á noite, saudades de ter pouco dinheiro no bolso e mesmo assim ser tão feliz, de me sentar á beira ria por 3 horas só porque sim...saudade, aquele sentimento tão exclusivamente português. Disseram-me que o cheiro vêm de umas árvores que existem na zona, não sei se estou convencida, se a saudade têm cheiro, o cheiro é aquele..só gostava de o poder guardar num frasco, gostava de o poder partilhar convosco, talvez o vosso verão cheire ao mesmo :)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo