É que eu até podia ser tudo o que não sou, podia ser tudo o que não se deve ser em demasia e podia faltar-me todas as qualidades do mundo. Podia ser uma ogre sem castelo, podia ser bruxa má com carta de vassoura, podia ser o pé grande sem noção do meu tamanho, podia ser uma cisne sem humildade, uma princesa com mania da importância ou uma pedindo sem o mínimo de gratidão. Podia ser também a fofa princesa encantada, a Elphaba dos tempos modernos, o pônei da generosidade, o unicórnio da perfeição, a lagarta da compaixão. Podia ser toda uma metamorfose estranha de quês e porquês, com ou sem sentido. Mas não sou mais do que aquilo que quero e decididamente sou aquilo que os outros merecem que seja e apesar de por vezes me enganar, por vezes me perder, existe em mim um caminho de pedras guiadas, deixadas num percurso outrora percorrido que me leva sempre para casa, para o meu eu, para os meus valores, para o meu ninho interno e extremamente selecionado.
E no fundo e ao fim das contas o que importa mesmo é estar perto dos que nos conhecem e que se deixam conhecer, dos que nos estimam e não nos atacam sem razão, o que importa é poder estar sozinha entre tantos e prender-me no meio deles, é assim que se cresce, que se aprende, que se cura as mágoas e que se volta a nascer.

#latenightthoughts #pensanisto #atéamanhãfofinhos

E agora, senhores e senhoras temos um grilo

Ontem quando cheguei a casa tinha mais um habitante, agora temos um grilo, passou a noite nesta casa enquanto eu pensava cá para mim que #GatoMiu lhe ia fazer a folha durante a noite como fez á lagarta que teve de ir ter com a família que precisava de ajuda com uma coisa lá na casa das lagartas. Mas não e não saiu da taça, comeu alface e aveia  e hoje foi promovido a uma mini frigideira, almoçou maçã e eu estou a ver que o gajo não me vai a lado nenhum.
Agora, #perguntaparaquemsabe
Os grilos é suposto morrerem nesta altura?
O que é que eu faço com isto?

O primeiro ataque de paniquete extremo... não foi bonito não

Dois anos nisto de lidar com ansiedade. Por vezes vai, por vezes fica e por vezes aparece de surpresa. É uma visita incomoda esta e perfeitamente dispensável. Não me venham com a conversa de que é uma reação natural e saudável ao perigo, coisa que já nos é servido em bandeja de ouro desde a época em que os dinossauros caminhavam pela terra, que raio de perigos este meu corpo acha que tem de fugir?
Todo um sem fim de fórmulas mágicas para a vida, fórmulas para ser feliz, para se organizar, para gerir tempo, para aumento de auto-estima e ainda assim nada resolve o que está solucionado. Todo um sem fim de medicinas alternativas, medicação placibo, auto-reflexão e nada. De nada vale a persistência, o querer estar ou o saber aceitar. É que, por mais que se tente e se tente a sério, há coisas que não mudam e que são difíceis de domar. Coisas que se sentem ao extremo e que penetram em nós como se nada mais de importante houvesse. Coisas banais e vulgares na grande maioria, coisas que o comum mortal desvaloriza e não quer saber. Mas apesar de todos sermos mortais, nem todos somos normais.

O bolo de camomila

A pedido de várias famílias aqui vai a tal receita de bolo de camomila que fiz para o aniversário da minha mãe.
A acrescentar que este foi um dos primeiros bolos que a Cacóta comeu e é um dos preferidos (todos a ignorar as quantidades de manteiga e açucar astronómicas que isto leva, só o faço de vez em quando por causa disso mesmo) e sim, é camomila camomila.
A receita é desta revista da Bimby mas facilmente se faz com uma batedeira, já o fiz e fica igualinho.


Vou-vos passar a receita tal qual está escrita e vocês adaptem como quiserem, no fundo foi isso que eu fiz para este bolo de aniversário:

Ingredientes:
3 c.sopa de flores de camomila
150 gr de farinha de trigo tipo 55, mais q.b. para polvilhar
1 c. chá de fermento para bolos
1/2 c. chá de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
100 gr de manteiga á temperatura ambiente cortada em pedaços (esta parte devem cumprir), mais q.b.para untar.
150 gr de açúcar
120gr de leite
1 ovo
Açúcar em pó q.b.para polvilhar.

Preparação

  • Pré-aqueça o forno a 180º. Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma tipo bolo inglês (20x10cm aprox.)
  • Coloque no copo a camomila e pulverize 15 seg/vel.9.
  • Adicione a farinha, o fermento, o bicarbonato e o sal e misture 10 seg/vel.5. 
  • Retire e reserve.
  • Insira a borboleta. Coloque no copa a manteiga e o açúcar e bata 1 min/vel 3.
  • Adicione o leite e o ovo e misture 10 seg/vel 3.
  • Adicione a mistura de farinha reservada e envolva 10 seg/vel 3. Deite na forma e leve ao forno a 180ºC cerca de 35 minutos. Desenforme e deixe arrefecer. Sirva polvilhado com açúcar em pó.

É isto.
Neste caso eu utilizei uma forma redonda e fiz o dobro da receita.


Por dentro coloquei manga aos cubinhos regada com uma redução de maracujá e cardamomo.
A redução fiz a olho mas basicamente é o maracujá fervido com açúcar q.b., quanto mais açúcar menos se espera pelo ponto, quanto menos açúcar menos doce fica, é questão de verem como gostam mais, eu usei cerca de 5 maracujás grandes e 2 colheres de açúcar amarelo. Quando começar a engrossa está bom.
Eu coei a redução para não ficar sem as sementes.


O chocolate da cobertura é Pantagruel derretido no tacho em que fiz a redução SEM O LAVAR.

Vá agora experimentem, transformem ou não e depois mostrem como ficou sim?

Este gato


Este gato que deve ter o nome mais Pussy que alguma vez algum gato doméstico teve é o melhor gato de todos os tempos. 
Sim, ele destrói rolos de papel higiénico, afinfa-me o cadeirão da sala e as cadeiras da cozinha quando está de trombas (ou a miúda o empurra e apanha um susto), sim ele amua, ele TODOS OS SANTOS DIAS mete a cena da agua ao chão, este estafermo é também o gato que brinca com ela, tipo literalmente, ás escondidas e á apanhada, dormita na janela do quarto dela (quando não bate o sol) e sim, tem uma paciência super santa para as trafulhices dela e as palmadas sem razão e os "OHHH MIUUUU"  a altos berros, mesmo ali em cima das orelhas quando ele dorme profundamente, sem nunca em 6 meses deste gato lhe ter enfiado uma unhaca, tantas mas tantas vezes que ela mereceu, sem nunca lhe ter dado uma valente dentada.
Este gato é dócil, é amigo dela, é companheiro, este gato veio para esta casa para mais uma vez mostrar ao mundo que lá porque meio mundo faz X não quer dizer que todos tenham de ser iguais, é nosso, coitado, tinha de vir ao mundo para fazer alguma coisa do contra não é verdade?
É a prova viva (por enquanto) de que os animais não são bichos do monte piores que papões á espera nas esquinas da casa da melhor altura para comer as perninhas meias esqueléticas dos nossos filhos, quando ele abana a cauda não é em sinal de que vai atirar-se ao pescoço da criança como um vampirinho esfomeado, quando ele olha nos olhos com ar triste não é á espera que alguém tenha pena dele para de seguida aplicar a super corrida para ir roubar a torrada da mesa. Sim, este gato dorme com a miúda e posso dizer (preparem os calhaus pessoas) que muitas vezes ele é a almofada dela, estão a ver certo, ali, aquele pêlo todo juntinho do nariz da miúda a ver se ela sucumbe de alergia?
É somos desses pais desnaturados que a deixam alimentar a fera e logo de seguida fazer-lhe festas enquanto ele come ignorando completamente os "ele vai morder a menina", somos também os que apesar de acharmos nojento não a proibimos de lhe dar beijos e o estrafagar de mimos e sabem que mais , ele lambe a miúda, sim, tipo cão mas sem baba e cheiro a peixe (coisa que não percebo, como raio é que ele não comendo peixe nem ração de tal me cheira a peixe?!?), sim, somos desses horrorosos pais e sabem que mais, TASSE BEM!!!
Eles estão bem juntos e em separado, pronto o bicho sofre um bocadinho mas é um mimado.
Ele é tudo isto e ainda o primeiro símbolo de responsabilidade dela, ele não come se ela não lhe der e ele sabe disso, é a ela que ele pede comida, é a ela que ele recebe primeiro ao fim do dia, é a ela que ele vai chamar primeiro de manhã num misto de ronron e turrinhas que desconfio que é coisa que a deixa um bocadadinho de mau feitio matinal (até comer, depois passa-lhe).
Sim, não temos a mínima noção do que andamos a fazer mas olhem, somos todos muito felizes (menos a Goa que ainda tem uns ataques de ciúmite aguda).