Ela anda de mão dada comigo

Podia ser o primeiro mamã.
Podia ser o primeiro beijo ou abraço.
Podia ser a primeira palavra.
Podia ser os primeiros passos para mim.


Mas não, eu não sou dessas. Eu sou a mãe que passa por tudo isto feliz, é óbvio que comovida mas eu sou a mãe que diz, que sente, que se orgulha e enche o peito para dizer sem chorar "a minha filha anda comigo de mão dada", tipo eu digo "vamos com a mamã?!" E ela estica a mão em modo "bora-lá-mamã" e passeia comigo, aprecia a vista, pára e olha para mim de sorriso feito como quem quer ter a certeza que a estou a ver, a ir, a ir comigo. E eu fico com a lágrima ao canto do olho, ela passeia comigo, caramba, ela é Feliz só com isto, comigo.
Eu sou a mãe que quer estar lá a cada passo, a começar pelo primeiro, inseguro e lento de medo aos seguros e confiantes.
Quero ir de mão dada mesmo ao de longe, mesmo quando não me quiser lá, eu lá vou estar escondida atrás de uma qualquer moita, silenciosa.
Não sou a mãe de balelas, do ai-meu-Deus-ela-não-fez-cocó, do "'tadinha da menina", podia ser mas não sou. Sou a mãe do tasse bem e quando não estiver arranja-se porque afinal o amor cura quase tudo. Sou a mãe do a-minha-filha-passeia-comigo, de mão dada e sorriso brincalhão.
E porra como ficamos bem não?
Estava cá convencida que por ser alta iria parecer uma marreca ao andar de mãos dadas com ela, mas ela não têm a quem sair pequena e estica bem o braço para parecer grande.
Pronto, era só isto.



2 comentários:

  1. Gostei imenso do teu logotipo :)
    beijinhos!

    http://fifoquices.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Carpida á vontade que logo eu vejo