O primeiro concerto oficial da dra. Cria

Marcámos a ida a um concerto que lá acabou por ser cancelado por falta de inscrições.
Descobrimos que ia haver um outro, num outro sitio, com outro tema, no mesmo dia e vai de tentar perceber como funciona a coisa.
Pois que a coisa é concorrida e estava esgotada.

Fiquei assim um pouco desiludida mas aproveitei para ficar de olho.
Sexta à noite, bem à noite e via Facebook informam-me que houve uma desistência e que se quiser posso ir.
Fiquei ali a organizar a situação, já era tarde, já tínhamos combinado outras coisas mas cheios de vontade lá dissemos que sim.
Sábado dia 3/Outubro foi o seu primeiro concerto fora da barriga. E foi giro. Tão giro. Tão a valer a pena.
O tema era o outono.
Confesso que não foi nada do que esperava, só porque foi muito melhor.
A sala era aconchegante e decorada ao tema. As músicas eram todas relacionadas com o outono e todos os sentidos foram estimulados.
O Outono foi explicado e sentido. Houve castanhas e abóboras. Houve vento, chuva e folhas secas, uvas e a vindima. Houve o Adeus às andorinhas e formigas safadas. Mas a cima de tudo houve animação e boa disposição. A música foi crescendo de tom até que se foi.
No fim a imensa vontade de repetir já para o próximo mês.

Ela?
Estava de trombas porque lhe tive de trocar a roupa antes de lhe dar o pequeno almoço e quando está de trombas é difícil de dar a volta mas esteve sempre atenta e bem disposta e lá deu o braço a torcer.

Nós?
Estivemos os primeiros 10 minutos sem dizer uma palavrinha que fosse sob pena de desatarmos a chorar, é, virámos pussys de vez.
Um muito obrigada à MUSA - escola de música e artes de Aveiro, pela atenção de se terem lembrado à última hora de nos convidar a estar presentes e pela experiência que não esperávamos ser tão mas tão boa.



1 comentário:

Carpida á vontade que logo eu vejo