Do dia do ecocoisócoração

Vocês já sabem que correu bem.
Sabem que ela foi para a clínica espalhar o charme, que tentou comer a gingarelha, que o médico disse que estava tudo bem, que confirmou que o dito sopro é coisa que passa, que não há a mínima razão para paniquete.
O que não vos contei foi que a determinada altura a deixaram ouvir o próprio batimento, e que ela, assim como quem percebe que a situação é mágica parou na sua determinação de comer a mão do médico e olhou para a máquina, seguiu o fio até ao monitor e, de repente, como se o seu cérebro tivesse visto um "espera aí" olhou para o pai, abriu o maior sorriso do mundo e ficou a olhar para mim, com os olhinhos em lágrima e a mão a apertar o meu dedo. 
O médico disse que eles reconhecem o som de quando estavam dentro da barriga das mães.




Já derreteram?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo