Aos teus 5 meses

Tu dobraste o riso e fui o melhor som que já alguma vez ouvi, fartei-me de chorar e conseguimos filmar. É do melhor que se pode ter na vida sem dúvida, um filho feliz.

O sopro continua lá, vais fazer a eco mas eu estou convencida que não é nada, é tipo fase de negação, não tens nada e não podes ter, ponto.

Engordaste 1kg em menos de um mês, tens refegos nas pernas e pulsos e uma bochechas gordas, rosadas e rijas.

Encontrei um dente a rasgar, estavas e tentar comer-me e senti uma coisa a arranhar, primeiro pensei que fosse uma unha tua mas não tinhas as mãos na boca, depois em desespero julguei que tivesses espetado alguma coisa na gengiva mas lá me acalmei e depois de adormecerem constatámos a custo que é mesmo um dento, o de baixo do teu lado esquerdo.
E já tens os dois de baixo à vista e os de cima a rasgar, estás a entrar na fase coelhinha, se a baba já era muita agora é uma coisa que nem se quantifica e tudo o que passe perto da boca é para roer, és um perigo.



No dia 16 de maio comeste a primeira sopa, tu bem que querias mas ainda não percebeste muito bem como é que se faz para engolir, então, é abrir a boca, enrolar a sopa e por para fora, passado um bocado estás frustrada e começas aos berros tipo mas-eu-tenho-fome-e-estes-não-me-dão-de-comer?. Ao menos nada de cara feia, muito pelo contrário.

No dia seguinte toca de virar no muda-fraldas, agora é oficial, muito cuidado com isso de trocar fraldas em sítios altos, a parte menos má é que não gostas de ficar de barriga para baixo como tal não te dás ao trabalho de te andares a rebolar, mas não fiando...

Sentar é com um pinta de todo o tamanho, vamos dar contigo num misto de chateada e irritada, agarrada ás almofadas e a puxar o corpo, quase em desespero porque nem sempre dás com o jeito mas quando dás pareces um sempre-em-pé, senta-deita-senta-deita...

As noite continuam muito bem obrigado.
Sim és uma moça muito simpática e comunicativa, encantas qualquer em 3 segundos.
Cada segundo é tão importante que me custa cada vez mais sair de perto de ti. Sei que a qualquer momento te vais sair com alguma nova e inevitavelmente eu não vou estar sempre "lá" mas podes crer que estou sempre que posso. Não e mesmo nada melhor que chegar perto de ti, que te ver sorrir quando nos reconheces, que receber essas mãos babadas na minha cara com eles olhos de ainda-bem-que-já-cá-estás.



1 comentário:

Carpida á vontade que logo eu vejo