Por não saber o que é esta angustia nunca se pensa nela



Parece que não vou ficar a saber o que é.
Nem nunca sequer tinha pensado na possibilidade de vir a saber, porque não era coisa que pensasse, ponto.
Depois uma pessoa descobre que mesmo sem planear está grávida.
Claro que primeiro veio o choque, depois a surpresa e depois o "tasse bem" que se vai tornando numa felicidade cada vez maior. A determinada altura com a cria a crescer a olhos vistos e os movimentos cada vez mais perceptíveis começa a surgir um certo medo de a perder, de estar a fazer alguma coisa de errado que mesmo sem intenção venha a pôr tudo isto a perder não é fácil meter na cabeça que está tudo bem, não se sabe ao certo se está efectivamente tudo bem, nunca se sabe mas acredita-se muito. Não vou para já vir a ter a mais ligeira hipótese de saber o que é tanto querer ser mãe e não conseguir, porque ela veio de fininho e resolveu ficar mas agora uma pessoa pensa no que deve ser querer passar por todo este turbilhão que se torna a nossa vida e não conseguir, e não saber porquê e ainda ter a liberdade de pensar na quantidade de pessoas que chegam mesmo a ser pais sem o merecer. Deve dar uma raiva saber de casos deprimentes de maus tratos e ademais atentados contra crianças quando a única coisa que se quer e ter uma só para nós, deve ser de uma tristeza e frustração incrível. Mais se agrava quando se pensa na quantidade de crianças já retiradas ou mesmo abandonadas pelos pais que se encontram por aí em instituições muitas vezes medíocres e nos processos longos de mais que muitas vezes não levam a lado nenhum.
Nunca tinha pensado bem nisso até ao momento daquele comentário infeliz mas acho que nem foi isso que me levou a considerar este sentimento de perda solidário daquilo que ainda não se têm, acho que foi mesmo o medo de não vir a ter.
Mas é bom saber que esta nossa veio de parasita nos leva a ter condições de tornar o improvável no certo porque é lindo de se ver que quando se quer mesmo muito uma coisa tão séria e complicada como ser pais a persistência não é, como em tantos outros casos na vida, um defeito mas sim compromisso com hora marcada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo