Solidão assistida


É a melhor descrição que posso dar.
O motivo passa pela insegurança, falta de afecto e a cima de tudo perseguição maciva e indesejada.
Passa pelo esquecer que existe um ser formado e de opinião própria e que a realidade de este estar a gerar um outro não invalida a sua própria existência.
Agrava-se possivelmente por este ser de 28 anos ser e precisar de ser independente. Por não gostar que lhe digam que sim porque têm que ser, por não gostar de ser controlado e por ter descoberto que apesar de não gostar de ser o centro da acção também não gosta de ser esquecido.
E parece que no meio de tanta novidade é a cada dia que passa mais esquecido.
Sinto-me cansada mas não me posso queixar ou levo com um sem fiz de razões desde o é normal até ao não te queixes mas não há uma única pessoa que me pergunte em que é que pode ajudar sem depois vir dizer que fez.
Depois existe as dores de costas e a média de sono de 5 horas por dia,  não dormo porque não tenho posição,  não tenho posição e não dormo. Tenho uma hérnia adormecida ali na L5 e parece que a bela adormecida encontrou o príncipe. Adormece-me as pernas o não dá jeito para andar mas se não andar dói-me as costas e não tenho posição para estar deitada.
Ando à dois meses nisto, tenho olheiras que nunca tive, não tenho paciência para grandes coisas mas faço o esforço todos os dias, não me queixo mais que uns ais e mesmo assim.
Sempre gostei da minha solidão, do meu silêncio mas nunca antes foram tão barulhentos. Preciso de mais dos outros,  eu preciso de mais dos outros,  preciso de menos perguntas, de mais abraços e compreensão, não sei onde procurar e nem quero dar o braço a torcer porque depois quando não precisar não sei o que fazer com ela.

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Tá mais ou menos...é bom que passe mesmo e rápido que eu não estou habituada a dar parte fraca :)

      Eliminar
  2. Passa mesmo. Para quem sempre foi tão independente e autónoma é natural que as alterações hormonais associadas a esse mau estar fisíco te deixe nesse estado. Tens é de ter um pouquinho (imensa) de paciência.

    ResponderEliminar

Carpida á vontade que logo eu vejo