No dia em que te conheci não sabia que nunca mais ia ser a mesma

Eu acredito que tudo na vida existe e acontece por uma razão.
Não sei que dia era, nem da semana, nem do mês. Tenho a ideia que foi à tarde mas pode ter sido à noite. Nesse dia conheci-te mas não te vi. E é irónico que logo eu que nunca me quis casar te vá conhecer num desfile de roupa para casamentos. Mais irónico ainda era a minha melhor amiga de sempre ser irmã do teu melhor amigo de à anos e nunca nos termos cruzado, nunca. Vivemos anos com uma rua e um pinhal a separar as nossas casas, eu lá no fundo tu vizinho dos meus padrinhos e nunca nos tínhamos visto, nunca. Descobrimos entretanto que estudámos em escolas vizinhas a vida quase toda, a probabilidade de apanhar o mesmo autocarro era grande no entanto nunca nos tínhamos visto antes.
E conheci-te num desfile para noivos, eu que nunca me quis casar.
Eu de noiva e tu de noivo.
Conheci-te numa janela, não me lembro o que disse, não me lembro o que tinhas vestido, no fundo não te passei cartão, não queria passar cartão a ninguém, tinha um amigo colorido na altura e para mim era aquilo e nada mais, não queria investir em mais ninguém para além de mim.
Tu lembras-te de mim, do que tinha vestido ao pormenor, um dia disseste-me que te fiz lembrar um elfo, por causa dos ponpons da gola, porque sou branquinha. Com certeza que te deves lembrar do que te disse, nunca perguntei.
E lá estava eu, botas de atilho, mini saia aos xadrez, com certeza que dava nas vistas.
Não desfilámos juntos porque os outros alegaram que era estranho dois irmãos fazerem de casal.
Sei que há fotos e vídeo desse desfile mas nunca os vi, não era importante, era só mais um dos muitos trabalhos que fiz.
Tenho pena de não me lembrar de mais.
Tenho pena porque apesar de eu não saber na altura, agora olhando para trás e sabendo o que sei hoje, tenho pena porque foi um dos dias mais importantes da minha vida. O dia em que eu, que nunca me quis casar, conheci o homem que me completa e faz feliz como nenhum outro fez, num desfile, ele de noivo e eu de noiva, é no mínimo irónico não acham?

1 comentário:

  1. Não! Dizem que o verdadeiro amor surge sempre da forma mais inexplicada!

    ResponderEliminar

Carpida á vontade que logo eu vejo