Atirem os calhãos e estrelas do mar mas eu sou aquela estranha que não gosto de praia.

Podia ser normal mas não sou.
Não gosto de praia,  não gosto do barulho das pessoas histéricas com um bocadinho de sol, nem da movimentação dos pequenos atrás das bolas, nem da areia, odeio areia, odeio porque se enfia em todos os lados e faz impressão nos dentes, e sabe mal. Não gosto de ter que ir à água fria e ficar com o entre dedos dos pés cheios de pseudó lama que só saí com mais água. Não gosto de ficar com o cabelo tipo esfregão da loiça por causa do sal. Não gosto de ficar esparramada ao sol só porque o bronze é giro e fica bem com o amarelo, acabo sempre e no máximo tipo lagosta fervida e com a pele irritada. Faz-me fastio ver as pessoas a comer na praia. No entanto adoro que as pessoas adorem praia, adoro que em dias de sol as estradas sejam só minhas, que as tascas estejam vazias e até que toda a gente fique mais feliz e radiante. Adoro as tardes de sol em Monsanto sem ter que levar com toda aquela gente domingueira e os seus cães fofinhos que gostam de socializar uns com os outros. Sim, sou aquela pessoa que não vai à praia a menos que seja de inverno, de galochas e só porque a cadela fica tão feliz que vale a pena. Nos últimos 3 anos fui umas 4 vezes à praia, sim, mantenho a mesma cor o ano inteiro e sou feliz assim para grande desgosto de amigos,  família e companheiro. A verdade é que um dia quando formos todos velhinhos eu vou ter menos rugas. Só meto lá o pézinho ao fim de horas de insistência e se não houver mais nada que fazer, ou seja em último dos casos, mesmo. Gosto de campo, piscina e na loucura praia fluvial. Por isso, quando forem de toalha e farnel para a areia lembrem-se que algures perdida por aí existe uma Carpideira feliz pelo espaço que me deixam e ainda a tentar perceber como é que é possível concentrar voluntariamente tanta gente em cima de uns grãos de areia outrora mijados, cuspidos e sabe-se lá mais o quê,  por tantas horas seguidas e na maioria das vezes sem a menor noção do perigo que correm em estar a torrar ao sol sem protector.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo