Margarida e a austerirade




Eu até estava aqui prestes a ir para a cama quando me deparo com isto. Ora bem, eu já tinha ouvido por aí umas quantas gentes revoltadas com as coisas boas que saem desta pérola da facção semi-inteligente deste país, nunca passei cartão mas esta é muito á frente. Fico de logo espantada que alguém em seu perfeito juízo se dê ao trabalho de convocar/convidar/aceitar este tipo de comentários televisivos mas tirando esta parte e tendo em conta que a borrada está feita (e a pessoa têm direito a se expressar) vamos ver se avaliamos a coisa.

"Cortes desde os anos 60, desde os anos 70"
Tive de rever esta parte duas vezes para perceber se a senhora sabia o que dizia ou se era o meu cansaço a não perceber a coisa.

"fico profundamente triste enquanto cidadã portuguesa e não moro longe da assembleia da republica portuguesa"
??? WTF mas e o que é que agente têm lá a ver com isso de pessoa viver perto do que quer que seja como se isso lhe desse alguma vantagem em se manifestar contra as manifestações dos outros!

"falta de civismos das pessoas que vão interromper e tentar perturbar o trabalho daqueles que neste momento governam o país"
Cara letrada aqui fica uma noção básica de civismo:

O termo civismo refere-se a atitudes e comportamentos que no dia-a-dia manifestam os cidadãos na defesa de certos valores e práticas assumidas como os deveres fundamentais para a vida colectiva, visando a preservar a sua harmonia e melhorar o bem-estar de todos.

A parte da memória curta eu ainda percebo e até consigo aceitar.

Cortes, "eu também tive cortes", assim de olhinhos fechados de modo a que qualquer menos dotado decifrador de expressões denote que os cortes da senhora só se podem deter entre o ir jantar fora 7 vezes por semana e o ir jantar fora 7 vezes por semana.

"somos um país pequeno"

E estamos a comparar o quê com o quê mesmo?
Tivemos um grande boom com a Europa?!? Ho virgem santísima porque fazeis os meus preciosos tímpanos ouvirem tanta coisa estranha?

"atitude de treinador de bancada ir para lá e mandar vir que as coisas se resolvem"

Pois ora com certeza, porque se marcarmos o chá das cinco com o pessoal é bem capaz de ser uma MUITO melhor opção...ah não espera, se calhar é melhor ficar alapados nas nossas não casa, com vista para a assembleia, que compramos para fazer de conta que somos tão ricos como os amigos ricos que a coisa se resolve, certo?

"irmos ali usar tudo, todos os serviços e mais alguns e nem sequer estar disposto a pagar "

Achava eu, grandiosa burra, que uma parte dos meus descontos iam para aqui, para uma coisa que uso felizmente duas vezes por ano e se tiver azar, afinal não. E eu até acho que as taxas moderadoras não são mal pensadas, acho é que se as temos de pagar que se reflectisse na qualidade de serviços e que se cobrasse o justo tendo em conta as posses de cada um porque eu ainda tenho a noção que existe muita gente que não pode pagar mais que X para ter direito a assistência médica porque tenho a certeza que se tivessem não iam para hospitais públicos e centro de saúde.

Mas os medicamentos estão mais baratos, claro que para ter as receitas não é preciso ir ao médico e pagar as ditas taxas.

Nem sei que diga mais, ou melhor, eu até sei mas como classe média trabalhadora não me posso dar ao luxo de ficar aqui a escrever absurdos sobre os assertivos comentários de pessoas tão bem sabidas do nosso meio político-fomoso-cor-de-rosa visto que amanhã tenho de ir fazer de conta que concordo com a economia do país sob pena de algures no mundo cibernaútico uma pessoa, sentada na sua cadeira de relax com vista para a assembleia (de onde aliás espera ver sair as melhor opções governamentais que alguma vez já se viram) se sinta profundamente triste com a minha falta de civismo e resolva ir para a televisão reclamar sobre o meu acto de exercer a liberdade que lá nos anos 70 me foi concedida.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo