No limiar de muita coisa


Era preciso ser-se muito mas muito tontos para não perceber isto!!
Mas eis que tornado em letras juntas e lido a olhos rápidos a ideia torna-se revoltante. Vivemos num país cheio de boas oportunidades mas que infelizmente para muitos e a maioria de nós é também um país cheio de oportunistas. Oportunistas esses divididos em várias fracções laborais mais digamos que os mais conceituados deles todos não só somos nós que os alimentamos como somos nós que os escolhemos e aparentemente, de à algum tempo para cá também somo nós que nos insurgimos contra eles mas que de alguma maneira, talvez por não haver nada a fazer ou por não termos a capacidade de o decidir fazer, continuamos a ser levados em cantigas mortas e sorrisos trocista, enquanto eles, meus senhores, continuam bem sentados, bem vestidos e bem remunerados, e mais uma vez, quem é que lhes dá todo esse conforto?
Sou eu e tu e todos nós restantes trabalhadores roubados, sim, ROUBADOS, que lhes damos abrigo neste país onde a maioria dos jovens não têm trabalho porque a idade da reforma aumenta a cada ano, neste país onde uma gaja desconta uma boa parte do ordenado para uma reforma que por este andar não vai ter e a quem o estado ainda lhe leva mais uma bela parcela para pagar dividas que não fomos nós que fizemos e que assim não deixa margem para um PPR, neste país onde o estado financia estudos a futuros bons profissionais e depois os convida a emigrar dando assim o seu investimento a outros países, neste país onde nos dizem que a taxa de desemprego diminui como se fossemos todos muitos burros e não fossemos capazes de ver que é só acabar o verão e volta tudo ao mesmo.
É revoltante, e eu, que até não me posso queixar muito, tenho trabalho e não recebo assim tão mal quanto isso, para mim não passa por abandonar as idas ao cinema ou ao teatro, por não jantar fora tantas vezes ou por não gastar tanto em roupas e afins, ainda consigo pagar tudo em dia e a bem das verdades não me falta nada, só não consigo poupar tanto quanto queria mas ainda vou conseguindo, no entanto, tenho a noção que existe neste país de oportunidades um sem fim de gente sem trabalho, outro com sérias dificuldades e ainda os que ficam sem casa, os que não têm o que comer e os que não conseguem sustentar os filhos e isso sim é preocupante, é triste e muitas vezes injusto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo