As barrigas de sapo.

As modelos tornam-se cada vez mais magras, esqueléticas e sem formas com o passar dos anos e uma mulher normal sente-se cada vez mais redonda com o passar dos mesmos. Algo de estranho se passa no mundo da moda que não cabe na cabeça de pessoas de aparência normal. Não consigo perceber em que ponto é que se passou a  levar como exemplo de beleza a estranheza facial, a falta de enchimento físico e a irrealidade visual de acabamentos. Suponho que a principal culpa deste fanatismo corporal se deve a nós próprias, mulheres que nunca estão satisfeitas com aquilo que têm, que se focam naquilo que já foram em vez de encarar aquilo em que se tornaram. Chegou a uma altura em que sem dar por ela deixei de comprar as típicas revistas de moda, não porque não me interessasse saber o que está em alta mas porque ao fim de rever toda uma revista me sentia de alguma maneira deprimida com tanta ostentação de perfeição. Vejamos, em todos os cantos se vê painéis publicitários, soglans, fotos de capa, manequins de montra e um sem fim de destaques que nos mostram como aquele vestido fica bem, como aquele biquíni assenta ou como o outros calçado mostra pernas idílicas mas cada vez que uma gaja vai experimentar alguma coisa cai na dura realidade, as próprias marcas fazem certo tipo de roupas em tamanho maiores que difícilmente fica bem a uma mulher grande e muitas vezes estas compram porque acham que lhes fica bem quando na realidade vivem no desconforto de não ser igual ao que vêm. Os homens também não ajudam com os seus olhares de lado quando uma daquelas girafas esfomeadas passa de lado com os seus cintos grandes e sapatos de salto fino que mais cedo ou mais tarde lhe traram nada mais que dores nas costas e joanetes. Todos eles gostariam de passear de braço dado com uma qualquer manequim agendada em uma dessas agências de modelos minimamente famosas, passa pelos sonhos de todos eles um dia terem uma dessas na cama, mostrar que podem aos amigos, mesmo que no fim do dia se encham de incertezas e ciumes porque todos os outros ficam de olho no passar de ombros das suas acompanhantes. Tudo isto para depois dizerem e defenderem que estas são para dar umas voltas mas nuca seriam mulheres com quem casariam exactamente porque dão muito nas vistas. Não, eles não querem casar com estas, querem alguém que possam agarrar, que tenha aquelas curvas e até aquela barriguinha de sapo e embora toda a gente saiba disso, todas nós queríamos a barriguinha de tanque e todos eles tocariam a falta de mamas pelas calças nº 34. Algo está mal neste mundo, só pode, e depois e com isto óbvio que somos inseguras por natureza, têm dias em que nos sentimos poderosas, têm dias em que estamos no lixo. Pessoas normais é o que é preciso para acompanhar com pessoas realistas. Era só isto. Viva as olheiras, a celulite, e o pescoço curto. Viva o nunca saber que tamanho comprar, as meias copas e os sapatos rasos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo