As amizades ciumentas

Ora aqui reside uma espécie de amor um pouco estranho.
Todos temos amigos, conhecidos, colegas e pessoas, embora eu seja daquelas pessoas que distingue perfeitamente umas das outras também tenho de admitir que na realidade dos factos o verdadeiro amigo é aquele que consegue ser tudo, conhecido, colega, e pessoa, é aquele ser estranho que apesar de não ter nascido da mesma mãe é como se tivesse, é aquela coisa que sabe o que estás a pensar, que consegue só pelo teu olhar saber o que sentes, é aquele abraço quando precisas, aquele chato quando nada te apetece, é quase como um namorado tiram a parte do sexo. Posso com toda a certeza dizer que tenho poucos desses, tenho alguns com uns quantos anos de casa, e tenho um e apenas um que se encaixa perfeitamente em todos os requisitos, é portanto A MINHA PESSOA, por mais chato e maniento, por mais tonto e complicado, ou por mais carente e meloso que seja é meu. 
No entanto vejo por ai umas quantas coisas que me apoquentam a alma...não se encaixa nesta cabeça que amizades daquelas em que se conta tudo na base do segredo absoluto de um momento para o outro e sem razão aparente se transforma num pesadelo, é, os ciumes são tramados e nas amizades também existem, o mal e grave é quando "os amigos" se deixam levar por isso e prejudicam a vida dos outros, em relação a trabalho, outras amizades e até mesmo nas relações afectivas dos outros, aí a coisa complica e de repente tudo vira do avesso...e é triste...e nós, outros amigos, ficamos para aqui a tentar perceber, e a aperceber-se que amanhã podes ser tu, e sem saber o que fazer, porque na realidade não podes fazer nada...mas pronto há sempre o dia do abraço e de dizer deixa lá que eu gosto de ti na mesma, não stresses que a coisa resolvesse...não sei se se resolve na realidade, este tipo de situações marcam-nos, deixam-nos com o pé atrás com as outras pessoas, não sei se isso se supera, mas posso garantir por experiência própria que até pode ser difícil voltar a confiar nos outros mas quando confias é para a vida e porque de alguma maneira sabes que vale a pena, lá está, é um amor estranho, também trás tantas alegrias como tristezas, e lá no fundinho todos sabemos que também parte corações e por vezes mais desastrosamente que as paixonetas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Carpida á vontade que logo eu vejo